20 Confissões de um usuário de Pokemon Go

Assim como muitos de vocês, confesso, estou jogando Pokemon Go e sim, estou jogando desde o primeiro dia de lançamento no Brasil. Queria ter começado antes já que estive nos Estados Unidos poucos dias antes do lançamento aqui, confesso também que cheguei a procurar na Apple Store enquanto estive por lá, mas pelo fato da minha conta continuar sendo brasileira não tinha nada. Passei a viagem inteira invejando meu irmão que, por ter um Android, conseguiu baixar o jogo por lá e começar a brincadeira.

Pois bem, tenho 25 anos e sou usuária de Pokemon Go. Se por um lado alguns acham isso um absurdo, por outro muitos me entendem bem. Antes de mais nada: tenho vida social, emprego, namorado (que não joga pokemon), família, amigos, estudos e, sim, a louça lá de casa está em dia. Dito isso, listo aqui algumas confissões de uma usuária de Pokemon Go.

pokemon-go

  1. Assim que eu saio de casa, eu abro o aplicativo.
  2. Aliás, assim que eu saio na rua eu abro o aplicativo. Ando com o celular guardado e aplicativo aberto para chocar os ovos.
  3. Fico puta quando o trajeto de ônibus + trem com um total de 10,5km na vida real conta menos de 2km para o ovo no jogo (isso acontece porque os transportes andam mais rápido do que uma pessoa normal e, então o jogo não contabiliza).
  4. Falando em  ônibus, já optei por pegar um ônibus que faz um caminho maior na volta pra minha casa só para ver (e pegar) pokestops diferentes.
  5. Falando em transporte, já deixei um trem passar para pegar o próximo só porque eu estava batalhando no ginásio e não daria tempo de terminar a batalha antes do trem sair da estação.
  6. E, claro, já passei do meu ponto de descida no trem porque estava distraída jogando pokemon.
  7. Ah, e eu não preciso ver o caminho do ônibus pela janela mais. Eu sei qual é o ponto que eu desço me localizando pelos pokestops (triste, mas é).
  8. Fico frustradíssima quando meu ovo choca e é um Zubat, Rattata, Nidorans, Spearow, etc.
  9. Capturo todos os pokemons que consigo, sim, não deixo nem um Zubat passar batido se não tem nada melhor pra fazer (como capturar outro pokemon ou pegar um pokestop, por exemplo).
  10. Aliás, adoro ir para o trabalho de ônibus para pegar alguns pokestops no meio do caminho.confissoes-de-quem-joga-pokemon-go
  11. Deixo o meu celular com o jogo aberto em cima da mesa do trabalho – o dia inteiro – torcendo para o sinal de gps estar meio estranho e fazer meu bonequinho andar sozinho e capturando os pokemons perdidos que aparecem.
  12. Já sai na rua rapidinho só para pegar um pokemon ou um ginásio e voltar pro trabalho.
  13. Tenho invejinha do pessoal que tem Android, porque o gps deles sempre fazem o bonequinho andar sozinho mesmo com a pessoa parada (o gps do Iphone é muito preciso e dificilmente faz seu boneco andar sem você estar realmente andando)
  14. E, com isso, já fui ver se meu Android velho encostado lá em casa suportava o jogo (mas infelizmente não suporta).
  15. Já escolhi restaurantes para almoçar me baseando no diferencial: dá pra pegar pokestop da mesa ou não.
  16. Também já fiquei mais tempo em um restaurante esperando o Lure (item que atrai mais pokemons no pokestop) acabar.
  17. Já deixei pessoas no vácuo no whatsapp porque estava jogando Pokemon Go (mas aí respondi quando cheguei em casa)
  18. Xingo mentalmente todas as gerações do pokemon quando consigo fazer um arremesso “excellent” da pokebola e o bicho não fica lá dentro (se o arremesso é excelente, você ganha 200 pontos a mais quando captura o pokemon).
  19. Ainda me sinto a pior das piores jogadoras quando um Weedle foge da bola e depois foge de você – mesmo sabendo que isso é muito normal – porque, poxa, não fui capaz de capturar uma larva.
  20. Se vejo que o ginásio ficou vago, eu entro mesmo sem ter sido eu que batalhei, então me desculpe se já me apropriei do seu ginásio.

pokemon-go

Tem uma outra situação aqui que resolvi colocar separado porque ainda estou em dúvida se foi engraçado ou se só foi maldade minha mesmo, me ajudem a identificar, por favor: Estava eu na estação esperando pelo trem. Como ele estava demorando, resolvi batalhar para tomar o ginásio de lá e, consegui. Então, na verdade,  estava lá eu feliz da vida esperando o trem sendo líder do ginásio da estação. O trem chegou, eu entrei e fiquei em um lugarzinho bacana, ele não estava cheio. Mas aí olho pro lado e… o cidadão do meu lado está matando meu pokemon. Fiquei de telespectadora secreta torcendo para o meu pokemon ganhar do dele – e ganhou de um – mas ele venceu a batalha. Só que eu já estava espera, né? Então assim que o ginásio ficou vago – porque ele ganhou de mim – eu fui lá e, antes dele, coloquei um outro pokemon! he he he Ainda deu tempo de ver ele abrindo a batalha de novo e começar a bater no meu pokemon, mas aí o trem andou e saiu da estação, então eu fiquei lá mais um tempo ainda.

E, para você que acha que Pokemon Go é um jogo babaca ou seja lá qual outro mimimi você use, saiba que foi o jogo que me ajudou a interagir com o pessoal do trabalho novo. Mudei de emprego, não conhecia ninguém e, por causa do Pokemon Go eu consegui puxar assunto com o pessoal, conversar e ainda me adicionaram no grupo do chat que a galera fica avisando se apareceu pokemon no mapa que dê pra pegar de dentro do escritório (aqui entra um pouco do item 13 que comentei).