Alternativa para uma Bolsa descascando

Não compro bolsas, jaquetas ou qualquer outro tipo de produto com couro animal, apenas com couro sintético. Isso me deixa sempre na possível situação de, depois de muito tempo que uma bolsa (por exemplo) estiver guardada e eu for pegar ela para usar, ela vai se desmanchar na minha mão.

Infelizmente quando um couro sintético começa a descascar, não há muita coisa que podemos fazer a respeito. Podemos prevenir antes de isso acontecer que é passando creme ou óleo hidratante periodicamente no couro. Mas, depois que os pedaços já começaram a cair, não há como recuperar e a tendencia é apenas piorar.

Eu estava com uma bolsa amarela linda que comprei em um brechó. Ou seja, já não tinha ideia de quantos anos aquela bolsa poderia ter. Usei ela constantemente durante muito tempo, mas nos 3 últimos anos ela ficou parada dentro do meu armário. Na mudança de apartamento (estou alugando um apê, leia aqui a série to morando sozinha) vi que ela estava se desfazendo.

Procurei na internet milhares de maneiras de tentar reformar ela e até cogitei em levar para um restaurador. A internet não me deu muitas esperanças e o restaurador custaria uma fortuna que, talvez, o preço não valesse para uma bolsa comprada por R$30 no brechó. Um dos insights que a internet me trouxe foi: aceita que dói menos, aproveite e transforme ela de outra forma.

Com dor no coração, aceitei que ela jamais seria a mesma e tomei coragem para pegar a escova de lavar roupa e terminar de tirar o couro despedaçado dela inteirinha.

Pois é, peguei a escova e esfreguei cada parte que tinha o courino amarelo até tirar cada pedacinho dela. Apesar de ela estar tão desidratada que era possível tirar com a mão, preferi raspar com a escova para tirar qualquer vestígio do couro.

No fim das contas, ela não ficou tão feia, o tecido por baixo era uma cor meio ‘natural’ que cogitei deixar ela dessa forma e voltar a usar com mais frequëncia.

Particularmente, eu gostei dela com esses detalhes em branco. Mas no meu coração ela ainda era toda amarela e eu a queria exatamente como o de sempre.

Por sorte, naquela caixa de “coisas que eu tenho, mas não sei quando vou usar”, eu tinha tinta de tecido. Por mais sorte ainda, eu tinha tinta na cor amarela. Para começar a aventura, peguei:

  • tinta de tecido amarela (mas se você gosta de ousar, pode ser de outra cor)
  • um pedacinho de esponja de lavar louça
  • um pedaço de papel alumínio para colocar a tinta que eu iria usar (pode ser um pote ou qualquer outra coisa)

E mãos à obra!

Eu jogava um pouco de tinta no papel alumínio e, com a esponja eu batia na tinta e passava na bolsa também com batidinhas. Assim eu preencheria todos os espaços da bolsa sem muita margem para errar e sem exagerar na quantidade de tinta.

Se você usar tinta demais para pintar a bolsa, pode ser que fique com uma consistência esquisita.

Amei o resultado:

Minha bolsa está com a mesma cara de quando eu comprei ela. Só não está mais com os detalhes em couro sintético, mas isso não é nada que estrague a aparência e muito menos a funcionalidade. Está como nova e poderei voltar a usar ela com frequência (:

Gostou da ideia?
Você usaria a bolsa de que jeito, pintando ou sem pintar?