[como fazer] Sacola do Bowser

Era uma vez uma menina que vasculhava a internet inteira atrás de coisinhas legais sobre o Mario. Sim, gosto do Mario. Ele faz parte de uma boa fatia da minha infância. Me lembra as tardes dos fins de semana que eu ainda podia passar na casa da minha avó. Meu avô comprou um Nintendo 64 em um certo natal. A primeira fita era o Mario 64. Foram tardes e tardes assistindo meu irmão, meu vô, minha mãe, a família inteira entrando em quadros pelas paredes, tentando ganhar estrelas inéditas e salvar a princesa. Sabe o tempo que você era feliz e não sabia? Eram claramente esses.

Enfim, nostalgia e arrependimentos à parte, gosto do Mario e gosto de brincar com trabalhos manuais. Não que eu seja boa com eles, mas gosto. Eis que encontrei a seguinte imagem na internet.

personagens mario
E foi aí que comecei a fazer uma bolsa do Mario. Comprei todos os tecidos, linhas, e até zíper comprei. Recortei e costurei tudinho. Até que… Estacionei: era preciso uma máquina de costura para terminar tudo. Eu (eu, Marina) não tenho uma máquina de costura, mas aqui em casa tem uma. O empecilho é: a máquina de costura é da dona minha mãe. FIM!  Nunca mais mexi na bolsa do Mario.

Fiquei #chatiada sem minha bolsa do Mario que ficou parada no backlog da máquina de costurar. Mas, insistente que sou, cheia das ideias que sou, inquieta que sou, vi uma sacola preta promocional que eu tinha ganhado há uns anos. Inteira e, o melhor de tudo, pronta!

Mas, uma bolsa do Mario não valeria à pena fazer já que eu tinha uma semi pronta… Então… BOWSER!
Tipo… sou má que nem ele,  a gente se entende, faz umas maldades e talz… Comprei mais feltro e mais linhas… mãos à obra!

imagem bowser para bolsa

Usei:

  • Sacola promocional preta
  • Feltro nas cores: verde bandeira, laranja, salmão (“cor de pele”), vermelho, branco e preto.
  • Linha de costura nas mesmas cores do feltro (+ agulha normal de costura)
  • Papel cartão para fazer os moldes

Como fiz:

A parte mais chata foi olhar para o desenho e reproduzir ele no tamanho da bolsa. Me formei em comunicação, por isso não fiz cálculo nenhum de proporção, foi tudo na base do olhômetro, do chutômetro e do tal do feeling mesmo (nossa, sou ótima para passar tutoriais e receitas, beijos recalque!). Então primeiro eu desenhei a sobrancelha (palavra chata de escrever, pelamor!), os olhos, o preto do olho, os dentes, a boca – até os contornos mais fortes como a boca e as narinas – em um papel. Esse foi meu molde. E cortei cada parte na cor certa.

Sou teimosa, sei que eu deveria costurar todas essas partes direto na sacola, mas, como eu estava no conforto do meu sofá e gostaria de continuar confortável, fui costurando em duas partes: a parte de cima (fundo verde com os olhos e sobrancelha) e a parte de baixo (fundo salmão com o nariz e a boca). Claro que antes de cortar os fundos, medi o pano na bolsa. Mas de novo, foi na base do feeling. Achei que tava bom e cortei assim mesmo. Ah, detalhe, o fundo salmão tem “três ondas” de acordo com o desenho, também medi as três no chutômetro e cortei. E, então comecei efetivamente a costurar.

DiY: bolsa do bowser

Com as duas partes devidamente preenchidas com seus adereços, eu já não teria como escapar: Era hora de costurar as coisas na bolsa. Olha, que partezinha chata do processo de fazer uma bolsa (costurar as coisas nela). Você precisa costurar o verso e, se não quiser enfiar a mão inteira dentro da sacola, tem que fazer uns malabarismos e contorcionismos para conseguir costurar o mais reto possível. Não sei se você é que nem eu, mas eu uso aquelas linhas gigantes que minha mãe chama carinhosamente de “linha de preguiçoso“. Essa hora (e para fazer barra em calça e também costurar regatas) bato no peito e assumo o preguiçosismo nato, minha linha é enorme, tenho até algumas dúvidas de por quê não uso o carretel inteiro de uma vez já que me pouparia de usar uma tesoura para cortar a linha. Enfim, não usem linha de preguiçoso. Várias vezes minha linha deu um nó no meio e fu&@$* com tudo.

Retomando o foco… primeiro costurei a parte verde, porque a parte salmão se sobrepõe os olhos do Bowser. Posso não calcular as medidas exatas de cada coisa, mas presto atenção em onde as coisas devem ficar. O trabalho do amador preguiçoso é: não sei fazer saspor#@ direito, mas tem que fazer, então o processo por trás de tudo nóis dá uns gato, o importante é o resultado final. Que ponto eu usei? (HAHAHA adoro essas perguntas…) foi o ponto do: primeiro em cima, agora no verso, agora em cima, agora no verso… No bom e velho vai e volta.

bolsa bower

 

Tudo costurado, bolsa pronta! Vamos às perguntas que interessam:
Ficou legal? – Ficou!!!
Mesmo feita com feltro, durou? – Mesmo com todo “acho que esse tamanho tá bom” e “acho que assim dá certo”, durou e dura até hoje. Fiz a bolsa no começo de 2012 e usei ela com muita frequência (hoje em dia nem tanto). Apesar do feltro aparentar um pouco de desgaste, eu só precisei dar uma “aparada” nos pelinhos levantados uma vez.
Noossa, você fez essa bolsa em 2012?? – Sim, por isso não tenho tantas fotos do processo inteiro. Hoje eu gostaria de ter mais fotos para mostrar o “passo a passo” certinho de tudo, mas quando a fiz não estava nem imaginando em ensinar alguém a fazer também.

bolsa mario

Curiosidade: a bolsa do Mario comecei em 2011 e hoje, 2014, ela está na mesma fase: aguardando a costura final! Pois é!!! Ainda bem que não esperei! hahahahahaha