Tô morando sozinha #4 – Montando os Móveis

Post número 4 da série “Tô morando sozinha”! Se você leu o post número 3, viu a minha aventura em comprar e escolher os móveis. Comprei tudo pela internet e os prazos eram gigantes como 21 dias úteis e até 48 dias úteis (mas tem algumas lojas físicas que eu sei que tem esse mesmo prazo extenso).

Muita coisa chegou antes dos dias calculados e, até agora, não sei se isso foi bom ou ruim. Porque haviam móveis relativamente grandes (mesmo desmontados) e eu deixei avisado com o porteiro e o zelador do prédio as datas que as empresas haviam prometido, ou seja, muita coisa chegou de “surpresa” para eles. Foi um stress médio, mas em relação ao processo de entrega/recebimento, o cenário geral foi ok.

Então os móveis chegaram. A maioria precisava montar e eu não tinha nem uma furadeira (quem dirá parafusadora!). Eu me via com algumas opções em mente:

  • Contratar um profissional – mas, quando você muda de apartamento seu gasto é gigante. Eu já tinha gastado “bastante” comprando os móveis, não daria para contratar um profissional agora (e eu queria os móveis montados para agora).
  • Comprar uma parafusadora e fazer eu mesma – um pouco mais viável que contratar o profissional, mas, de novo, não estava podendo gastar dinheiro.
  • Pegar as chaves philips e de fenda e fazer sozinha – é o modo mais difícil? Sim, é. Mas para quem não estava podendo desembolsar nadinha e não tem preguiça no corpitcho, essa é a melhor solução.

Eu tive a ajuda do meu super namorado companheiro nessa loucura. Talvez ele só tenha aceitado porque não tinha imaginado o tamanho do trabalho que isso iria dar (mentira, ele topa todas as furadas que eu meto ele mesmo). Na lista de móveis para montar tínhamos: rack com painel + mesa de jantar + 6 cadeiras (sim, precisavam montar) + cabeceira da cama + escrivaninha + gaveteiro.

VEJA TODOS OS POSTS DA SÉRIE “TÔ MORANDO SOZINHA”

O primeiro móvel que montamos foi o rack com painel. O manual era muito explicativo e, pelo fato das peças terem tamanhos diferentes, o processo foi relativamente fácil. Apertamos muitos (mas muuuitos) parafusos e, na hora de colocar as rodinhas, o móvel não tinha marcações ou qualquer tipo de guia, então furamos na mão e no achometro. Apesar de tudo indicar o contrário, deu super certo! O móvel está montado, firme e funcional. Mas acabamos ganhando (eu e meu namorado) bolhas na palma da mão de tanto apertar os parafusos e fazer os furos no móvel com as chaves philips.

Com a lição aprendida, para montar os outros móveis usamos luva de academia (sabe? aquela que tem uma borracha na palma da mão para evitar que a pessoa fique com bolha de tanto puxar peso?!). Evitamos as bolhas, mas não a canseira. Muitos móveis não possuíam bons manuais e quando as peças tinham tamanhos parecidos complicava ainda mais o nosso trabalho. Brigamos um pouquinho durante o processo? Com certeza, ainda mais com o meu temperamento dócil. Mas no fim deu tudo certo, a gente sempre se entende, e montamos os móveis que hoje estão maravilhosos lá no meu apartamento.

E agora, como tradição nesse blog cheio de textão, a lista com 5 coisas que você deve fazer quando precisar montar os móveis da sua casa:

  1. Determine com base no seu orçamento, necessidades e condições quem irá montar os móveis: um profissional especializado ou você (talvez um amigo?!)
    Se você escolheu o profissional, seus problemas acabaram aqui… Se não, continue lendo.
  2. Como você vai montar os móveis? Com parafusadora? Na mão? Lembre-se que sempre dá para pegar esses tipos de ferramentas emprestadas de algum amigo.
  3. Verifique as regras de barulho do seu prédio. O meu, por exemplo, a regra de barulho comum é normal: até às 22h, mas para barulho de martelo, furadeira, etc a regra é outra: somente em dias úteis das 9h às 18h ou de sábado das 9h às 12h (sim, achei meio mancada, mas algumas coisas eu só consegui fazer sábado às 9h).
  4. Planeje-se! Se você tem uma quantidade grande de móveis como eu, vai precisar de planejamento para montar tudo certinho. Eu determinei que montaria um móvel por semana (e só no final de semana, que é quando eu tinha tempo). Aproveitei os domingos para fazer o que não precisava de martelo, e os sábados quando precisava.
  5. Tenha disposição e paciência. Diga adeus à preguiça e leia com calma o manual. Muitas coisas você só vai entender depois de ler a terceira ou quarta vez, ou até mesmo depois que começar a montar o móvel efetivamente.

A melhor dica de todas é: tenha sempre bons amigos (ou no meu caso, bom namorado) que possam te ajudar nesse processo. Fazer sozinho muitas vezes é complicado, pois no meu caso, para montar alguns móveis foi preciso uma pessoa segurar no lugar certinho e a outra apertar os parafusos e fazer os furos.

É cansativo sim, não tem como dizer o contrário, mas a sensação da casa mobiliada e montada do jeitinho que você estava esperando vale a pena. Minha casa tá tão minha cara que nem quero sair mais de lá de dentro.

E você, já passou por essa experiência? Conte pra gente como foram os preparativos e o processo todo!